domingo, 23 de maio de 2010

talvez eu saiba, em algum lugar no fundo da alma que o amor nunca dura, e nós temos que arranjar outros meios de seguir em frente sozinhos ou ficar com uma cara boa. E eu sempre vivi assim, mantendo uma distância confortável. Até agora eu tinha jurado a mim mesma que eu era feliz com a solidão, porque nada disso valia a pena o risco. Mas você é a única exceção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário