segunda-feira, 5 de julho de 2010

Então acaba aqui... pontos zerados, ninguém ganha e ninguém perde.

Não é falta de forças, porque faria tudo para ter você pra mim. Mas meu coração chorou e me pediu para
partir, ele não tem mais condições de sofrer.
Eu sinto muito, se vou desapontar você, mas você já me desapontou tantas vezes, e eu sempre continuei aqui, ingênua, para quando você precisasse.
Eu até deixei minha vida, fui viver em uma em que você gostasse de mim, mas foi impossível.
As linhas hojes se descruzam, eu as rompo com as mãos sujas de sangue, sangue que não fui capaz de mater dentro do pulso.
Mas há coisas que as pessoas não se importam.
Se eu passar meu dia dentro do quarto, dizendo que estou estudando, tudo será normal para aqueles que não sabem da minha dor.
Mas então descobri que ainda tenho alergia do sol, mesmo sem ter visto ele nascer, mesmo sem me expor.
Mas então vou para longe, me esconder do sol. Fingir sentimentos que na verdade nunca deixaram de existir.
Como eu disse a base não volta, e o mundo continua preto e branco.