domingo, 29 de maio de 2011

Só eu sei a diferença entre o que estou vivendo no momento e o que eu vivia a alguns dias, meses ou até mesmo anos atrás. Eu sou a única que sei das minhas dores, dos meus pensamentos, dos meus desejos e de tudo que sinto. Então porque as pessoas acham que tem o direito de pensar ou achar algo de mim? A verdade é que não costumo falar tudo o que penso e sinto de momento, eu prefiro guardar e esperar a hora certa de falar tudo. É, e acho que esperei demais. Ou não. Não costumo mais pensar que as pessoas é que estragam tudo, agora mais do que nunca eu sei que eu sempre estrago tudo de melhor que estou vivendo. Eu sempre pensei que nunca teria instabilidade na minha vida amorosa, talvez nao seja simplismente pelo fato de ter que me libertar de certas pessoas, mais pelo fato de ser indecisa em quase tudo. EM TUDO!
Faço escolhas certas, mais erro na hora de por essas escolhas em praticas. Talvez desde o começo deste ano metade dos meus planos tenham falhado. Por concequência minha isso eu sei!
Eu queria mto saber porque tudo que eu vivo é tão intenso. Odeio ter que sentir a intensidade de cada momento, de cada palavra de cada pessoa. É tudo tão intenso que acaba se desgastando, se acabando...
Talvez eu nao seja este o real momento, talvez não seja agora, tavez quem sabe mais tarde ... Mais tarde? talvez? mais tarde pode não chegar. E o talvez seja aquele que caminha lado-a-lado em tudo que eu faça, que eu sinta. Nem eu mesma sei o que sinto, o que quero, o que faço. Inconsequênte! isto mesmo, tudo o que eu faço tem se tornado meio inconsequênte.
Então nao procurarei falar de mundanças mais. Elas vao ter que se partidas naturalmente ..
Então pelo menos hoje eu ficarei sozinha com meus pensamentos, ficarei em casa deitada no meu sofa, vendo as horas passarem e procurando as respostas jamais encontradas para minhas inumeras perguntas. E no final do dia, quando eu ja tiver resposta para pelo menos um pergunta, eu vou levantar e tomar as mais cabiveis atitudes. Sem precisar magoar alguém, sem precisar magoar a mim mesma.