segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Sobre nós

Pensar que aquela seria a ultima vez de nossas vidas fez de metade de mim morta. Ainda vou levar anos para entender porque a gente sempre joga nossa felicidade na mão do outro, como se ela fosse a responsável por toda nossa mesquinha fantasia. Eu ainda vou cheirar blusa e tragar pela ultima vez o cheiro suave da sua pele. Vou me cortar inteira por dentro para poder me renascer outra vez. Acho desnecessário lembrar do nosso abraço apertado todas as vezes que nos encontrávamos anoite na única hora em que tínhamos para passar juntas. Quando cozinhávamos em um domingo chuvoso, odeio lembrar desses momentos pois além de lágrimas nos olhos eles me deixam uma enorme dor de saudades , e uma lamentável tristeza de não ter vivido com você o resto da minha vida, como era nossa vontade, como havíamos planejado.
Eu não me importaria com o modo como era distraída e quando era calma demais pra resolver nossos problemas, eu não me importaria em ter que conviver com esse jeito meio distraído porque em troca disso eu teria suas mãos, seu sorriso e seu cheiro sempre em mim. Como a gente faz pra ser feliz? Eu teria dado muito mais de mim para manter esse amor de pé se soubesse como fazer isso de um jeito meio certo, mas eu nunca soube como nos manter de pé. Existe uma linha tênue entre eu, você e nosso futuro sempre incerto , imaturo, inseguro e até mesmo impiedoso.

De toda forma, eu deixo aqui minhas palavras de um infinito amor, carregado de dor, de traumas e momentos. Seja lá como for, quando for ou onde for você vai estar pra sempre em mim!