segunda-feira, 25 de agosto de 2014

A dor

Acredito que nenhuma dor é para sempre, mas matar essa essa dor tem sido uma batalha sem sucesso todos os intermináveis dias. É que são poucas as pessoas que sabem o que é se sentir totalmente vazio de vida. Eu procurei por tanto tempo preencher a solidão que ela agora virou muito mais parte de mim do que um dia eu imaginei. Um dia a muito tempo atrás eu decidi partir de uma vida de constante sofrimento, abri mão do amor para recomeçar, tive que me cortar e costurar novamente, quando me remendei achei que era necessário dividir do sentimento medíocre que muitos dizem se chamar amor. Mas todos os dias eu me questiono e não compreendo porque o amor faz sofrer. Eu novamente estou perdendo partes de mim, cada dia eu perco um pedaço. Só que desta vez não estou obtendo forças para matar a dor, ela simplesmente esta me vencendo e não a nada que faça ela ir embora, se ao menos desta vez houvesse alguém. Cada segundo, minuto, cada hora e dia que passam eu me perco nesse rio de tristeza e angustia, cada dia esses sentimentos acabam comigo. Eu nunca desejei estar aonde me encontro. Desejo o fim da dor, mesmo que eu tenha que por um fim em mim para ameniza-la.

Porque a vida me deu inumerosos dias tristes ao invés de dias felizes, mesmo vindo de uma tempestade de dias assim, não me cabe mais medir forças com algo que não muda, não me basta viver assim, não me conforta esperar o tempo e criar expectativas de um futuro que mal sabemos se realmente virá.