quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

O que devemos saber

Talvez você não compreenda ao certo a razão pela qual você sente tudo isso, talvez você até chegue a acreditar que esteja ficando cada dia mais louca, simplesmente por não ter mais domínio daquilo que quer. Você acredita que muitas das suas duvidas, dos seus medos e daquilo que deseja, são injustos com você, porque você não quer se permitir errar dessa forma. Não é fácil compreender o porque nos deixamos levar pelas intensidades propostas. Não queremos nos perder dentro de nós, não queremos nos perder dentro do outro. 
Acontece que o certo nem sempre é o certo, assim como o que escolhemos nem sempre é a escolha que iremos seguir pra vida toda. Que medo é esse de se conhecer de verdade? Que bloqueio é este que você tem, de deixar se permitir fazer escolhas, mesmo elas sendo erradas? 
Eu descubro mais de mim quando me questiono, e algum tempo depois já obtenho essas respostas mesmo que inconscientes. É muito mais sábio sabermos o que queremos, mesmo não sendo essas as certezas. Afinal, o que de fato é certo? Acredito que nossas incertezas é quem vão formar nossas certezas, vão nos fazer ver muito além daquilo que queremos verdadeiramente, intensamente e inevitavelmente. A unica certeza que eu tenho neste momento é que amanhã é um novo dia, e que sempre teremos a oportunidade tentar algo novo, algo que nos impressione, que nos fascine, que nos leve para essa busca incessante de completude, a qual nunca vai existir, porque completos nunca seremos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário