terça-feira, 25 de abril de 2017

A luz da minha intesidade

Tenho em mim um vasto sentimento de amor profundo, quando necessário se faz presença, quando assustado recua-se e se fecha como borboleta em seu casulo. Camufla-se nas entre linhas do meu eu. Sou movida de energias, que me abastecem de vida ou morte, dependerá do tipo de energia que me você me fornecerá. Hoje não mais necessito de alguém que me complete como pessoa, mas gosto do olhar que me penetra e fundi minha alma fazendo com que eu me perca completamente dentro de mim. O raso nunca me interessou, nunca me excitou de fato. Gosto do que me avessa, atravessa, do que arrepia e excita a ponto de me fazer entrar em estado de êxtase, mas sem precisar me fazer perder o domínio de mim. Me organize quando necessário, mas permita-se também se perder em meio a bagunça vez ou outra. Viver na superfície nunca foi minha praia, acho as profundezas mais bonitas e verdadeiras e quando me relaciono com um pessoa, preciso acessar as profundezas de cada uma, para sentir sua verdade e singularidade incrivelmente secreta. Intensidade é meu sinônimo.
Permito-me sempre expressar tudo que sinto, desde a tristeza inconsolável até a alegria demasiada. Estou na fase mais bonita, me visto de luz quase todos os dias, mas também sei me vestir de trevas. Reajo com a forma que você me trata, posso te fornecer o mel da minha doçura, mas também posso fornecer o amargo da minha raiva. Já decidiu o que irá despertar de mim hoje?
Seja calor, já tem gente demais sendo inverno.    






Nenhum comentário:

Postar um comentário